Blog21

Automação robótica

O futuro do trabalho:O RPA (Robotic Process Automation ou Automação robótica e processos) é o nome dado às soluções de automação com o uso de softwares (robôs) que navegam na camada de visualização de sistemas. Assim, diversos processos
da empresa são otimizados e a mão de obra humana em tarefas repetitivas é reduzida. Com isso, o capital intelectual dos seus colaboradores pode ser utilizado em atividades mais nobres e criativas, que exigem o uso de julgamentos, razão, sentimentos e fatores humanos que contribuem para a
inovação de qualquer empresa.
O que distingue a automação de processos com RPA da automação de TI tradicional é o uso de softwares robôs, que têm a capacidade de adaptar-se a circunstâncias de mudança, exceções e novas situações. Uma vez que o
software robô foi criado com o uso de uma ferramenta RPA, este terá a capacidade de capturar e interpretar os processos específicos dos softwares legados que seus funcionários já operam, ele pode manipular dados, desencadear respostas, iniciar novas ações e comunicar-se com outros sistemas de forma autônoma.

Rapidez e assertividade: Soluções de RPA são especialmente úteis para organizações que possuem muitos sistemas diferentes e complexos, que precisam interagir de forma fluida e que atualmente são integrados por meio de pessoas que copiam, interpretam, manipulam e colam dados de um sistema para outro.
O RPA imita ações que um ser humano executa ao realizar uma tarefa em tela de computador e, em seguida, replica essas ações tantas vezes quanto for necessário em uma taxa muito rápida. Por exemplo: se o formulário eletrônico de um sistema de recursos humanos não tiver o número do CPF de um funcionário, o software de automação tradicional sinalizaria que um cadastro tem uma exceção. Assim, um empregado precisaria tratar disso e procurar o CPF correto, inserindo-o manualmente no formulário. Uma vez que o formulário foi concluído, o funcionário pode enviá-lo para que a informação possa ser inserida no sistema de folha de pagamento da organização.

Como funciona?
O princípio do RPA é a utilização de robôs, que são códigos de computador com algoritmos capazes de aprender novas funções — por isso, eles não se limitam a repetir somente aquilo que foram programados para fazer. O RPA nada mais é do que uma solução capaz de habilitar as empresas a criar um software robô especialmente para a automação de processos empresariais, monitorar essas operações e realizar a governança desses robôs. Ele é capaz de automatizar tarefas repetitivas e processos sistemáticos em ambientes digitais, buscando imitar as interações que os usuários fariam ao lidar com seus sistemas de gestão, por exemplo: controle de pagamentos de notas fiscais, boletos, etc – podendo ser aplicados em diversas áreas e funções.

Quais são os benefícios?
O RPA tem, entre seus muitos benefícios, o fato de ser uma solução de rápida implementação, de baixo impacto de mudança e de altíssimo poder de transformação e geração de valor para os negócios. Além de outras vantagens
bem interessantes:
– Os funcionários podem se concentrar no trabalho de maior exigência intelectual em vez de executar tarefas repetitivas, o que certamente melhora a motivação e a produtividade.
– O potencial de erro humano é eliminado, por exemplo, na entrada de dados, pois um robô não comete esses erros;
– A produtividade aumenta a medida que o ciclo e os tempos de transação caem. O RPA reduz drasticamente o tempo necessário para completar uma grande variedade de processos de negócios, incluindo processamento de compras, atendimento ao cliente e qualquer outro
processo que requer acesso a múltiplos sistemas existentes;
– As análises de negócios são mais robustas e de fácil acesso. Toda transação concluída por um RPA é gravada em um registro detalhado. Esses dados podem ser manipulados para produzir uma análise profunda de praticamente qualquer processo concluído.


HELPDESK